Uma vida muito além das expectativas

Uma vida muito além das ExpectativasLer é sempre um desafio, quer seja um clássico da Literatura Mundial quer seja um Jovem Adulto ou um Romance Erótico, desses de Banca de Jornal. A leitura nos proporciona diversos prazeres, do mais egoísta ao mais puro tédio.

Cada vez que olhamos para um título, analisamos sua capa, sentindo a sua textura, cheiramos suas páginas – como só nós sabemos fazer!  – nós entramos em um estado estático, um êxtase que permanece por tempo indeterminado na nossa conturbada mente e gera deliciosos calafrios em nosso corpo. Apenas depois desses sentimentos é que nos vemos no direito de abrir a obra e começar os nossos prazeres clandestinos.  Claro, nem sempre é algo bom, quantas vezes nós, leitores assumidos, já não pegamos porcarias literárias? Eu mesmo já perdi as contas dessas obras que desperdiçam papéis! Mas quantas vezes não nos surpreendemos? Diversas! Não! Milhares de vezes! Essa é a graça da Literatura, nos transportar para mundos que são possíveis em nossa mente. 

Quando lancei-me o desafio de ler “Uma vida Muito Além das Expectativas” eu não esperava muito, queria apenas algo para esfriar a cabeça da badalação mundana, algo para relaxar.  Li a sinopse que tinha tudo, menos algo que lembrasse o subtítulo “Cartas para a minha bisneta”, uma Auto-Biografia ou uma Auto-Ajuda? Desanimei. Eu gosto de cinema, mas confesso que não sou de ver muitos filmes. – Preguiça, meu caro leitor, pura preguiça! – Quem diacho é Sidney Poitier? Não sabia e enquanto escrevo essas palavras sinto-me envergonhado de nunca ter visto se quer um de seus filmes. O cara é um ícone do cinema! Ok, passado a fase de inconformidade, eu abri mais uma vez a obra – Afinal, eu a tinha, iria ler! – e fitei sem muita esperança as linhas que se seguiam. Página por página meus olhos foram devorando as letras, varrendo de uma linha a outra, de um trecho marcado a outro aqueles sentimentos que transbordam.

A proposta do livro é intrigante, me atraiu profundamente e creio que quem tem esse meu perfil antropológico, velho e que se sente uma criança ao sentar para ouvir uma boa história vai gostar tanto como eu gostei da obra. Sidney Poitier conta a história de sua família, como foi criado, em que meio viviam e como tudo isso permaneceu vivo durante os anos; o amor entre seus pais que se entendiam apenas com o olhar. O cheiro que permanecia em sua memória da mata explorada de sua infância e até a sua vida adulta, de como ralou para chegar ao prestígio de um renomado Ator.
Ele está a todo o momento dialogando conosco e principalmente com a sua Bisneta, Ayele que até então mal havia completado quatro anos de vida.

A tradição de toda a sua família é contada abertamente e isso da todo aquele ar romântico para a obra.

Claro que a obra não é todo esse mar de rosas, tem diversos pontos que eu não concordei e a revisão pecou em muito (Redundância, erros de Português e dentro outros), mas ainda é uma boa obra para se relaxar e refletir. Ela está longe de ser uma obra que vai mudar a sua vida de vários aspectos e sentidos, mas em se tratando de entretenimento é uma obra que vale a pena. – claro, se você tiver o perfil que coloquei logo acima –
Sou um leitor crítico e estou aqui para analisar o livro como um todo e não só pela sua ótima proposta. A Editora Larousse poderia ter escolhido uma capa mais simpática, uma chamada melhor e quem sabe mandado para dois revisores diferentes. (Gente, por favor! Existem pessoas formadas em Letras que trabalham exclusivamente com revisão, custa procurar um pouco mais? Compreendo que o pobre do revisor poderia estar cansado, mas ele é pago por isso!)
Eles acertaram nas páginas amareladas e na diagramação, algo que me deixa muito feliz. – está na hora de extinguir as folhas brancas dos livros! Cadê a nossa greve? –

“Quando assisto a um noticiário na televisão sozinho, eu com freqüência me dou conta de que estou sendo manipulado. A televisão não tem interesse pelo meu bem-estar. O interesse é me manter sentado em frente a ela, pois eles têm algo para me vender.”

Informações úteis:

  • Nota:   
  • Onde achar: LarousseLivraria CulturaSaraiva.
  • Título: Uma Vida Muito Além Das Expectativas – Cartas Para a Minha Bisneta
  • Autor: Sidney Poitier
  • Tradução: Catharina Pinheiro
  • Editora: Larousse
  • N° de Páginas: 287
  • ISBN: 978-85-7635-652-3
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s